Com Onshore Week, Pilar consolida protagonismo no mercado de óleo e gás

Ascom Pilar

Pilar foi destaque em um dos maiores eventos do mercado de petróleo e gás do país, realizado nesta semana, em Maceió. Durante três dias, empresários, gestores e especialistas do setor participaram do Onshore Week, promovido pela Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip) com o objetivo de debater a pujança do mercado onshore – em terra – e as oportunidades decorrentes da exploração do gás natural em Alagoas e Pilar, considerando, inclusive, a crescente demanda por fontes de energia limpa e renovável.

Durante o encontro, a Prefeitura apresentou sua política de atração de investimentos em um espaço exclusivo, o Pilar Invest. O município também foi lembrado quando temas como a estocagem subterrânea repercutiram no auditório do Hotel Jatiúca, palco do evento. A estocagem, que deve ser iniciada pela Origem Energia em Pilar ainda este ano, pode conferir mais competitividade ao gás produzido em solo alagoano, fortalecendo, assim, a geração de oportunidades e de renda.

Pilar, inclusive, também já dispõe de seu próprio polo industrial, recém-lançado, cujas empresas poderão fazer uso do gás explorado pela Origem Energia, empresa que comprou os ativos da Petrobras em Alagoas.

“Estamos preparando o terreno para que Pilar se torne um centro de distribuição para todo o Nordeste. Isso porque o maior parque industrial da Origem é o de Pilar, onde a empresa já produz mais de um milhão e 300 mil metros cúbicos por dia. Portanto, temos condições de fazer do nosso gás um verdadeiro divisor de águas, um grande vetor de desenvolvimento socioeconômico”, comentou o prefeito de Pilar, Renato Filho.

CEO da Origem, Luiz Felipe Coutinho também destacou o potencial do mercado que cresceu 30% em seis anos, já estimando um investimento na ordem de R$ 40 bilhões até 2029. “Alagoas tem a possibilidade de gerar uma energia competitiva por meio do gás natural. E por ter o gás mais barato do país, Alagoas pode, se criarmos um ambiente propício para isso, tornar-se um dos principais polos desenvolvimentistas do Brasil”, destacou o palestrante, durante o evento que também contou com a presença de autoridades como o secretário nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), Pietro Mendes, e a relatora da Lei do Gás na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), deputada Fátima Canuto.

“Como relatora da lei, meu papel é garantir que o arcabouço legal do Estado incentive os investidores a trazerem novas indústrias, mas garanta as contrapartidas sociais e ambientais necessárias à sustentabilidade e à qualidade de vida dos alagoanos”, afirmou Fátima Canuto em discurso no evento.